sexta-feira, 9 de abril de 2010

Relatos eroticos de travestis

PRISCILA GAÚCHA
(11) 6273-6040


A Priscila é sem sombra de dúvidas uma das transex mais gostosa em sampa atualmente. Negra, estatura media, corpo extremamente feminino, portadora de atributos invejáveis, tais como: bundão, peitão, e canhão. Tenho encontrado com ela na Rua Rego Freitas, em frente ao Kalipha Hotel, onde nossos encontros acabam se concretizando. Todavia sei que está morando num Flat sozinha no centro da cidade.

Boa de papo, a primeira vez que sai com ela, foi na intenção de comer aquela deusa em todas as posições, principalmente de quatro, pois sua poupança é definitivamente linda. Atolar naquela deusa, com ela de quatro, segurando seus seios enormes é meu sonho erótico. Mas não consegui concretizar ainda essa vontade.

O que eu não frisei é que ela tem uma verve maravilhosa, que lentamente, vai embriagando o acompanhante. Ela vai beijando e acariciando ao estilo namoradinha, enroscando as pernas e olhando dentro dos seus olhos, como se estivesse estudando seus olhos e, de repente, você tem um geiser de prazer.

Numa noite dessas, estávamos assim, deitadinhos na cama, se beijando, dando carinhos recíprocos, trocando energia positiva, quando ela me aplicou uma tática demais sedutora. A Priscila passava as unhas compridas nas minhas costas. Eu sentia as unhas dessa t-gata sensacional passando pelas minhas costelas e espinha dorsal, enquanto ela explorava o meu ouvido com sussurros sacanas sobre minhas preferências na cama.

Aqueles calões safados caiam como gotas de prazer no meu corpo, instilando na minha pele arrepios e pelos eriçados. Eu também procurava explorar seu corpo com minha boca, lambendo e sugando tudo que encontrava sobre a superfície de sua pele negra.

Aliás, sua pele exala o cheiro amadeirado e seco do patchouli, capaz de transmitir uma sensação de torpor e paz, anestesiando a mente de quem beija seu corpo todo.

A Priscila, delicadamente, foi colocando na minha boca as partes do corpo que ela queria que fossem beijadas, sem deixar que eu percebesse que ela estava no comando das rédeas. Do nada, ela fica monta sobre mim, me cercando entre as suas pernas e tira da calcinha uma verdadeira ferramenta de respeito.

Grossa, tamanho grande.

A grossura da chave-inglesa era equivalente a do miolo de papelão do rolo de papel higiênico, tomando como referência algo que tem na casa de todo mundo. Isso mesmo, sem exageros, ao contrário, se eu estiver errando o calibre, estou pecando pela falta e não pelo excesso.

Cada vez que a Priscila batia com a ferramenta dura nos meus lábios era como tomar murros na boca. Dava prá sentir o peso do salame, duro e musculoso, que quase inchava meu rosto de tanto apanhar na cara de pica.

Você pode até me chamar de coprófilo com o que eu vou lhe contar. Fiquei excitado, muito excitado com o aroma dos órgãos sexuais dela, com o cheiro de pau e saco. Agora mesmo, escrevendo esse breve relato, minha pica se intumesce só em lembrar do gosto de escroto que ficou macerado na saliva que eu engolia, enquanto fazia um boquete naquela rola enorme.

Digo, tentava fazer o boquete, pois não é fácil abrir a boca no diâmetro do salame que ela tem no meio das pernas. A despeito de ser no formato de cunha, com a cabeça um pouco menor que o calibre do corpo, é grosso mesmo.

Quando a penetração, ela faz isso com maestria e prazer. A Priscila é daquelas que adora ser ativa, não que ela tenha me falado isso expressamente, mas deduzo isso pela expressão no seu rosto de prazer ao ver sua companhia sofrendo com a introdução.

Ela esboça um sorriso sádico, no canto esquerdo da boca, quando coloca o sujeito de quatro, passa gel na entrada do ânus, cutuca várias vezes a portinhola de entrada com a cabeçorra e vai empurrando o corpanzil para dentro lentamente. O ânus pisca forte, sai lágrimas dos olhos, mas com a tamanha maestria que a Priscila tem em fazer isso, não se sente dor alguma.

Digo, na hora é que não se sente dor alguma - rs - depois, ela vai se tornar inesquecível. As duas, a Priscila e a dor na hora de sentar.

Numa das vezes em que estivemos juntos, ela deu uma breve surra de rola na minha bunda e quando ela cutucou a cabeça eu tive uma ejaculação precoce muito forte. Nunca disse isso a ela, mas naquele dia fiquei com medo do estrago.

***

Excelente papo, super lista branca, pessoa extremamente honesta, só faz penetração segura, o que demonstra amor próprio e consideração pelos outros, ou seja, responsabilidade social.

PRISCILA, feliz natal 2009 !!!!!!!!!!!!



Coração-t
================

Nenhum comentário:

Postar um comentário